Seguir em frente.

​Na minha concepção, a gente nunca supera. Só guarda numa gavetinha do coração e segue em frente. De vez em quando a gente esbarra e essa gavetinha abre sem querer derrubando tudo no chão. Então, nós simplesmente precisamos reunir toda a coragem que tivemos um dia para devolver tudo ao seu devido lugar. E continuar a seguir em frente. De novo. Mais forte do que antes dela abrir.

7 meses

​7 meses. Foi há 7 meses. Meu coração outrora já havia sido partido. Mas jamais como naquele dia. Há 7 meses. Naqueles intermináveis minutos de uma madrugada qualquer, meu tormento e agonia estavam só começando. Madrugadas antes que serviam de consolo para pesadelos, tornou-se o palco do pior que eu já tivera. Naqueles míseros minutos minha alma fora praticamente arrancada do meu ser, meu coração despedaçado, arrancado do meu peito, jogado ao ventos as centenas de pedaços. Foram longos sete meses de angústia, tristeza, alguns dias alegres… Acontece que sempre que o frio retorna, época favorita de nós dois, o sofrimento faz caminho de volta ao meu coração. Felizmente ele já não é como antes; agora é um pouquinho mais leve, sereno. Sete meses. Só sete meses. De um relacionamento de 1 ano e quase 6 meses, se ele não tivesse destruído uma semana antes de completarmos mais um mês. Eu me doei de corpo e alma, me entreguei ao nosso amor. Para sete meses depois ele já estar no seu segundo relacionamento. Sete meses. Eu ainda penso nele todos os dias, sabe? Não na pessoa que ele é agora. Não, essa pessoa eu não conheço. Não teve um mínimo de consideração comigo… Conseguiu partir meu coração mesmo com ele despedaçado. Não. Eu penso na pessoa maravilhosa que ele era há dois anos… Na pessoa que foi meu 1° amor. É nele que eu penso. Mesmo sabendo que ele já morrera. Acho que é isso, estou de luto. Há sete meses venho estando de luto. Acontece que eu não aguento mais. Quero esquecê-lo, por mais que os dias em que eu passara com ele tenha sido os melhores de todos os meus 16 anos, se me dessem uma pílula do esquecimento, sem nem pensar. Eu tomaria.

Lidos do mês #Setembro

Ano acabando, vestibular se aproximando, é… Estou a todo vapor aproveitando enquanto meu 3º ano não chega. Então vamos ver o que li esse mês?

1- Todo Seu – Série Crossifire, último livro da série.

Todo Seu

Nota: 4/5

Sinceramente, ao contrário dos outros fãs da série, eu gostei bastante desse volume. Não achei desnecessário, mas tenho que concordar com eles: a autora deixou muitos pontos soltos. Talvez um sexto livro seria melhor para resolver esses pontos e explorar mais a história, mas enfim…

Sinopse: Me casar com ele foi um sonho se tornando realidade. Estar casada com ele é a luta da minha vida. O amor transforma. O nosso é tanto o refúgio da tempestade, quanto a mais violenta das tempestades. Duas almas danificadas entrelaçadas como uma só. Temos descoberto os mais profundos, e mais feios segredos um do outro. E Gideon é o espelho que reflete todos os meus defeitos e toda a beleza que eu não podia ver. Ele me deu tudo. Agora, eu preciso provar que eu posso ser sua rocha de segurança, o abrigo que ele é para mim. Juntos, poderemos lutar contra aqueles que trabalham de forma brutal para ficar entre nós. Mas a nossa maior batalha pode estar dentro dos próprios votos que nos dão força. Comprometer-se com o nosso amor era o começo. Lutar por isso, é o que irá nos libertar ou separar.

2- A Caixa de Pássaros.

Caixa de Pássaros

Nota: 5/5

Genteee, que livro é esse, meu Deus? Devorei em um dia de tão bom. Foi o primeiro do gênero que li por ter tantas críticas positivas. Super recomendo ele, o próximo nesse estilo será A Garota do Trem, se alguém tiver recomendações do estilo, por favor, sinta-se à vontade para dizer nos comentários.

Sinopse: Caixa de pássaros é um thriller psicológico tenso e aterrorizante, que explora a essência do medo. Uma história que vai deixar o leitor completamente sem fôlego mesmo depois de terminar de ler. Basta uma olhadela para desencadear um impulso violento e incontrolável que acabará em suicídio. Ninguém é imune e ninguém sabe o que provoca essa reação nas pessoas. Cinco anos depois do surto ter começado, restaram poucos sobreviventes, entre eles Malorie e dois filhos pequenos. Ela sonha em fugir para um local onde a família possa ficar em segurança, mas a viagem que tem pela frente é assustadora: uma decisão errada e eles morrerão.

3- Dez Coisas Que Aprendi Sobre o Amor.

Dez Coisas Que Aprendi Sobre o Amor

Nota:3/5

Demorei um pouco para ler este porque achei uma leitura mediana. Odiei o final já que um dos narradores passa a narrativa inteira com o único objetivo e ao chegar ao final ele não o cumpre…

Sinopse: Por quase 30 anos, quando a brisa de Londres torna-se mais quente, Daniel caminha pelas margens do Tâmisa e senta-se em um banco. Entre as mãos, tem uma folha de papel e um envelope em que escreve apenas um nome, sempre o mesmo. Ele lista também algumas coisas: os desejos e o que gostaria de falar para sua filha, que ele nunca conheceu. Alice tem 30 anos e sente-se mais feliz longe de casa, sob um céu estrelado, rodeada pela imensidão do horizonte, em vez de segura entre quatro paredes. Londres está cheia de memórias de sua mãe que se fora muito cedo, deixando-a com uma família que ela não parece fazer parte. Agora, Alice está de volta porque seu pai está morrendo. Ela só pode dar-lhe um último adeus. Alice e Daniel parecem não ter nada em comum, exceto o amor pelas estrelas, cores e mirtilos. Mas, acima de tudo, o hábito de fazer listas de dez coisas que os tornam tristes ou felizes. O amor está em todas as partes desta história. Suas consequências também. Sejam boas ou más. Até que ponto uma mentira pode ser melhor do que a verdade?

 

4- A Gente Ama, A Gente Sonha.

A gente ama, a gente sonha

Nota:  4.5/5

Apesar de eu não curtir muito distopias, gostei muito desta leitura. Esse é o segundo livro da Fabiane que leio e a cada capítulo dela me apaixono mais. Livro ótimo para refletir sobre a nossa realidade e sobre o futuro que aguarda as próximas gerações com o rumo em que a sociedade está andando.

Sinopse: Num futuro distante, em que a humanidade é completamente diferente daquela que conhecemos, Vanessa depara-se com situações para as quais foi treinada a não se importar: morte, fé, família, amor. Uma mensagem vinda do ano de 2012 é apenas o começo das mudanças em sua vida, que se intensificam quando ela começa a sonhar livremente, o que também era proibido.
Em uma narrativa sobre a reinvenção do homem do futuro, dos valores e do mundo, A gente ama, a gente sonha, é um misto de ficção futurista com os dramas atuais da humanidade, que, apesar dos esforços, nunca mudam. As perdas e os sonhos vão levar Vanessa a descobrir um mundo novo e a resgatar sentimentos escondidos em seu peito. Descobrir quem é o rapaz misterioso dos seus sonhos é apenas um de seus problemas, quando, na verdade, amar é o maior crime que ela poderia ter cometido.

5- A Vida Peculiar de Um Carteiro Solitário.

A vida peculiar de um carteiro solitário

Nota: 4.8/5

Confesso que achei o começo um pouco monótono, mas com o decorrer da história, o carteiro se mostrou, de uma forma leve, psicótico e egoísta. Livro bem rápido de se ler e com um final totalmente inesperado. Vale muito a pena ler.

Sinopse: Cartas, poesia e um amor inesquecível. Bilodo vive a tranquila vida de um carteiro sem muitos amigos nem grandes emoções. Completa diariamente seu percurso de entrega e retorna sempre à solidão de seu pequeno apartamento em Montreal. Mas ele encontrou uma excêntrica maneira de fugir dessa rotina: aprendeu a abrir as correspondências alheias sem deixar rastros e passou a ler as cartas pessoais com as quais se depara. E foi assim que ele descobriu o primeiro grande amor de sua vida: a jovem professora Ségolène, que mantém uma misteriosa correspondência com o poeta Gaston, composta somente por haicais. Instigado pela elegância e simplicidade de seus versos, Bilodo se vê cada vez mais fascinado por essa forma de poesia. Mas quando é confrontado com a perspectiva de se ver privado das cartas de Ségolène, ele precisa tomar uma decisão que pode levá-lo mais longe do que podia imaginar. Talvez seja hora de compor seus próprios poemas de amor.

 

Não consigo escrever 

Não consigo escrever. Já tem um tempo que nada que escrevo me serve como bom. Não consigo escrever. Falta-me inspiração. Acontece que ele era essa inspiração. Não consigo escrever. Mandei-o embora da minha vida e como repreenda ele levou meus pensamentos poéticos. Não consigo escrever. Parece que meu raciocínio desapareceu. Ou será que nunca tive? Não consigo escrever. Penso comigo mesma a falta que a escrita faz. Mas o que posso fazer? Simplesmente não consigo escrever. Será que apenas tive uma sorte delimitada de escrita devido ao amor? Só pode, afinal, eu não consigo escrever. Não mais pelo menos. Isso me assusta. Será que algum dia voltarei a escrever? Não consigo escrever! Preciso de ajuda, perdi a proficiência de encantar as pessoas com minhas palavras. Não consigo escrever… Não sei mais o que fazer. Já fiz rascunhos, escrevi, reescrevi, deletei… Não consigo escrever, acho que chegou a hora de desistir, porque não consigo mais escrever. Anseio pela escrita assim como anseio por realizar meus sonhos. Mas, droga! Não consigo escrever! 

Espera… Acho que consegui.

Digamos que…

​Digamos que talvez eu esteja com uma queda por você.

Digamos que talvez eu queira me perder no mar castanho dos teus olhos.
Digamos que talvez eu queira morar no teu abraço.
E digamos que talvez eu queira me aproveitar dessa estadia para me aquecer com o teu calor.
Digamos que talvez eu fique imaginando, antes do sono chegar, como seria nós dois namorando.
Digamos que talvez eu fique olhando se você está online no whatsapp de hora em hora mesmo sabendo que você não virá me chamar e vice-versa.
Digamos que eu me preocupe muito com você, apesar de não demonstrar.
Digamos que você tenha me chamado a atenção desde o dia em que nos conhecemos.
Digamos que eu já tenha perdido a conta de quantas vezes sonhei com você.
Digamos que talvez eu fique ansiando pelo o término do dia só para poder ver você no outro.
Digamos que eu te deseje.
Digamos que eu queira você.
Digamos que eu queira desesperadamente beijar você.
Não, eu não estou apaixonada por você, mas digamos que eu queira isso porque… gosto de você.
Digamos que eu queira saber tudo sobre você.
Enfim, digamos que… Eu só queria que você sentisse isso tudo por mim também…

Tag > Six On Six

Indicação por: Blog Inícios Marcantes; Thank you 🙂

nj

Regras:

  • Liste e descreva as 6 tarefas que deseja concluir até dezembro;
  • Indique seis blogs para a TAG;
  • Avise-os que foi marcado na TAG mandando o link do post;
  • Envie o link do seu post ao blog que lhe indicou pra TAG como agradecimento.

Já de antemão digo que não indicarei ninguém para tag, pois ela já é um pouquinho “velha” e praticamente quase todos que sigo já fizeram. 

  1. Ler todos os 21 livros que estão na lista de espera na estante;
  2. Colocar minhas séries em dia;
  3. Melhorar meu inglês
  4. Emagrecer uns 5 kg pelo menos;
  5. Ler algum livro em inglês;
  6. Ler mais da literatura clássica brasileira.

Post bem rapidinho hoje, mil desculpas à quem me indicou por tamanha demora :s

Tag > Obsessão Por Livros.

Indicação por: Blog A Bookcaholic Girl, thank u 😀

1. Você tem obsessão por comprar livros? 

R: Obsessão, não. Apenas aproveito “promoções” para abrir meus horizontes e aumentar minha coleção…

2. Quando, onde e quantas vezes você compra livros? Vai sozinho ou acompanhado?

R: Compro geralmente quando vou à livraria Nobel, à Itatiaia ou à loja Americanas. Como tem uma Americanas no fim da rua do meu colégio, quando estou com dinheiro, quase toda semana… Acompanhada de alguma amiga ou da minha prima que também é leitora. Às vezes, quando eu saio com a minha mãe, ela sempre paga dois ou três livros para mim também. Te Amo, Mãe ❤

3. Qual o aspecto que te atrai em um livro? Tem algum gênero que você sempre procura?

R: Não me orgulho disso, mas eu sou do tipo que compra um livro pela capa. É muito difícil algum outro aspecto me chamar a atenção. A Primeira sessão que eu vou quando chego à livraria é o new adult.

4. Prefere livros novos, usados ou a mistura de ambos?

R: Sinceramente, eu não me importo muito com isso. Se o livro usado estiver em Ótimas condições e com um preço bom, não vejo por que não comprá-lo. Mas também gosto de tirar do plástico e sentir o cheirinho de novo. Então, prefiro a mistura de ambos.

5. Quanto você está disposto a gastar com livros por mês?

R: Todo o dinheiro que eu puder kkk.

6. Alguma vez você já se obrigou a parar de comprar livros?

R: O tempo todo, porque tenho uns 15 na estante para serem lidos ainda, mas sabe como é, né. A gente entra na livraria e quando vai ver…

7. Quanto tempo você demora a ler os livros recém-comprados?

R: Dependendo do livro, leio no mesmo dia.

8. Você prefere comprar muitos livros curtos e caros ou grandes e baratos?

R: Eu prefiro comprar livros. Não importa como ele seja, se tiver uma capa atraente já está valendo, haha.

Indico:

Vou indicar só esses porque acho que quase todo mundo já fez esse tag, e se você aí do outro lado não, sinta-se à vontade 🙂

Versão 2.0

Diálogo entre um amigo e ela.

Amigo: Como você está?

Ela: Finalmente estou ficando bem. Queria dizer que voltei a ser como era, mas ambos sabemos que, uma vez que alguém entra na sua vida e a muda, você nunca será o mesmo novamente.

Amigo: Mas você está feliz com essa sua nova versão?

Ela: Ainda não. Mas estou trabalhando na minha felicidade. Comecei a usar aquele tal de “amor próprio” que todos viviam me dizendo para ter quando meu relacionamento chegou ao fim. Não estou feliz ainda, mas posso garantir que estou satisfeita.

Amigo: Você só vai voltar a ser feliz completamente quando encontrar um novo amor mesmo.

Ela: Aí que está, meu caro. Eu já encontrei esse novo amor. Encontrei amor por mim mesma. Estou totalmente focada em mim agora. Eu me basto. 

Amigo: Você tem certeza? E aquilo que você escreveu sobre alguém tirar-te dum abismo em que você se encontra?…

Ela: É o que estou tentando falar-te. Já sai desse abismo de dor. Eu me resgatei. A minha nova eu resgatou a minha antiga eu. Elas se fundiram e agora estou aqui. Versão 2.0 nova e sem dor.

Amigo: Quer dizer então que a garota mais sentimental e sensível que eu conheço fechou o coração e virou narcisista? Quem diria! Haha

Ela: Muito pelo contrário, amigo! Haha

Amigo: Não entendi…

Ela: Deixe-me explicar. Meu coração nunca esteve tão aberto! Jamais deixarei de acreditar no amor. Apenas não estou a procura de um no momento. Mas não me fecharei. Vai que eu tropece com ele por aí, não é? E não acho que seja narcisismo querer ser feliz sozinha. Até porque só dá para compartilhar felicidade quando já se é feliz, não?

Amigo: Você tem razão, minha cara. Então vida nova, certo?

Ela: Não totalmente. Pelo não até esse ano acabar. Quando 2016 chegar ao fim, jogarei muita coisa pela janela. Inclusive minha mala antiga. Entrarei em 2017 sem bagagens. Pronta para renovar e inovar! 

Amigo: Bom, estou contigo nessa.

E você? Você mesmo aí do outro lado da tela. Está pronto para deixar a bagagem antiga no passado e começar a viver o presente? Sem dores, mágoas, ex-amores? Só felicidade, amor, família, amigos, e se você assim como eu acredita, Deus. O ano não acabou ainda, mas está perto. Muitas mudanças virão para mim. Desejo-te muitas boas também! 

 

“Por hoje é só pessoal”

Tag > Cálculos Literários.

Indicação por: Blog A Bookaholic Girl. Muito obrigada 🙂

1- Adição: Um livro que você adicionaria fatos:

Yaqui Delgado Quer Quebrar a Sua Cara

 

2- Subtração: Um livro que você tiraria fatos:

Um Dia

 

3- Multiplicação: Um livro com personagens gêmeos:

Harry Potter e a Câmara Secreta

Os queridos gêmeos Weasley ❤

4- Divisão: Um livro com um personagem que tem a mente dividida/dúvidas ao fazer escolhas:

Impulsos do coração

5- Raiz quadrada: Um livro com um personagem que quer ser mais do que realmente é:

Dezessete Luas (Beautiful Darkness)

Miga, vamos querer parar de fingir que quer ser da escuridão, né.

6- Porcentagem: Um livro que tinha tudo para ser bom e não foi

Melancia

7- Pi (3,14159…): Um livro que não teve um final concreto

Sem comentários sobre esse…

Dom Casmurro

Ps: Sim, eu acho que ele foi traído.


8- Diferente: Um livro com um final inesperado:

A Última Carta de Amor

 

9- Delta: Um livro com um triângulo amoroso:

Eclipse

10- Igual: Dois livros parecidos.

R: Não me recordo de nenhum.

 

 

23 de agosto de 2016.

(Carta dela para ele, após ele ter ido embora novamente)

 Hey, como você está?

Já faz um tempo que não nos falamos, não é? Bom, em minha defesa, eu só quis respeitar sua decisão. Acho que você esperou que eu pedisse para você ficar, mas se tiver sido o caso, espero que entenda o porquê de eu não ter te impedido. Quando você foi embora pela 3°/4° vez, eu compreendi que você por mais que voltasse, sempre iria novamente. Parei de me importar com o fato de você ficar ou não, mas me importo com você ainda. Eu sei que você é bem lerdo às vezes, mas acho que entenderia. Não sei se você lembrou, mas hoje faríamos dois anos de namoro. Eu não queria nem deveria lembrar, mas você realmente marcou a minha vida. Não é nada demais, nem ficarei chateada caso você não tenha se recordado. Mas, mais uma vez, eu não me importo. Não mais. E isso é tão bom, sabe? Quase tão gostoso quanto a época em que  você me fazia feliz. É uma sensação boa, de paz. Você foi embora para encontrar essa paz também, e agora eu realmente espero que você tenha encontrado-a. Talvez até com outro alguém. De qualquer forma, estarei feliz por você. Eu aprendi da pior forma o real significado daquela frase “Quando se ama alguém, você deve deixá-la ser feliz, por mais que você não seja mais a felicidade”. Agora eu entendo. Fiquei com muita raiva de você na época. Te odiei. Te repudiei. Mas quero que saiba que foi só porque você era uma coisa boa na minha vida. E você sabe, coisas boas na minha vida são raras. Mas eu compreendi essa frase e deixei ser verdade. Foi melhor assim. Ambos sabemos disso. Quanto mais cedo foi, melhor para nossa sanidade. Afinal, nós estávamos nos destruindo. Eu só não percebi isso na época. Mas você sim. Então obrigada. Obrigada por tudo de maravilhoso. Obrigada por ter me tornado uma pessoa melhor. Obrigada pela companhia enquanto eu só queria solidão. Obrigada por fazer parte da minha vida. E por fim, obrigada por ter terminado tudo com boas lembranças ao invés de deixar que tudo se arruinasse com brigas. Preciso dizer-te que não sinto mais saudades. Não sei se isso é bom, mas creio que sim. Claro, é impossível não emocionar-me escrevendo isso (continuo a pessoa mais sensível que você conheceu, isso não mudou), mas não sinto mais falta. Agora a única coisa que carrego em meu coração é a boa lembrança de ter tido alguém especial ao meu lado durante algum tempo. Espero encontrar outro alguém assim novamente. Está chovendo aqui, sabia? É o nosso tipo de tempo favorito. Acho que foi por isso que   fiquei com vontade de escrever-te. Tirando o fato de que nunca enviarei a você. Detalhes, certo? Enfim, eu estou feliz. Sabe por quê? Porque estou lembrando do que fomos. Porém, não estou triste pelo que poderíamos ser. Simplesmente não era para ficarmos juntos. Apenas precisávamos desse tempo um com outro para amadurecermos para os verdadeiros amores das nossas vidas. Mas saiba que você foi essa pessoa para mim durante um ano e seis meses. “A gente nunca supera o primeiro amor”, era o que você me dizia. Hoje eu vejo que você estava certo. Quero dizer, em parte pelo menos. Acho que a gente só não tem a capacidade real de esquecer o primeiro amor. A gente simplesmente segue em frente. E foi o que fizemos. Por mais que não façamos mais parte da vida um do outro, eu sempre estarei aqui para você. Porque mesmo não me importando, eu me importo contigo, bocó. Prova disso é que aqui estou eu escrevendo para você. Mesmo sabendo que você não lerá. É melhor assim. Saiba que você nunca morrerá, pois sendo a boa escritora que sou, (finalmente passei a acreditar nisso depois de você tanto insistir que eu tenho potencial ) eternizarei você em meus textos. Com minhas palavras cheias de carinho. Acho que acabei estendendo-me demais. Desculpe-me.

Seja o mais feliz possível, tá bom? Espero encontrar-te por aí algum dia.

Com carinho,

 

Dela para ele.