N° 36 ou N° 42?

Hoje em dia o que mais se vê por aí são mulheres de corpos perfeitos, cinturas finas e etc. Na televisão sempre tem algum programa tentando te ensinar alguma dieta ou programa de exercícios para emagrecer. Nas revistas, o ideal é você ser magra como uma tábua, pois só assim você será bonita. Vejamos bem, eu não tenho nada contra as magras, porém, no colégio e na vida, elas agem como tal pelo simples fato de que elas possuem os corpos perfeitos que são impostos pelas mídias quando sabemos que isso é uma completa tolice. Acho que cada um tem que ter orgulho do seu próprio corpo e ser feliz com o mesmo. Se você é feliz sendo gordinha e comendo de tudo (contanto que você seja saudável), para que diabos você vai emagrecer se não é uma vontade sua? Só por que é isso que dizem ser o padrão de beleza? Eu já vi tantas gordinhas lindas e magrinhas horrorosas…
Canso de ver garotas se privando de comer só porque sofreram algum tipo de humilhação das magrinhas por ter mais corpo que elas. Eu, por exemplo, já sofri com isso. Não tomava café, comia estremanente pouco no almoço, não lanchava e raramente jantava. Resultado? Uma puta de uma anemia que juntando à problemas de menstruação, me fizeram desmaiar e quase ser internada precisando de transfusão de sangue. Claro, eu estava com o corpo que queria, mas também estava muito doente. Isso foi há alguns anos e depois de levar um sermão de toda a família (inclusive de um primo de 16 anos) tomei jeito e comecei a comer direito. Não sou mais magra como naquela época, mas não me sinto nem um pouco mal vestindo 42 em baixo e 44/46 em cima. Eu deixava de comer por ver meninas magras para todos os lados e não ser como elas. Hoje vejo como pequei fazendo isso. Outras garotas fazem ainda pior e quando penso nisso me dá um dor no coração porque sei pelo que elas passam e como não é fácil ser diferente. Mas, se você que está é como eu, saiba que ser diferente é muito mais legal :). Como eu falei antes, nada contra as magrinhas, acho lindo as cinturinhas delas e como ficam bem em praticamente todo tipo de vestido, mas não trocaria meu corpo pelo delas jamais! Assim como tenho certeza que elas gostam do corpo delas, eu também adoro o meu :). O único defeito da maioria, é achar que são muito melhores que nós só por vestir bem menos. À essas só digo isso: homens gostam de pegar em carne, não em ossos haha 😉
Brincadeiras à parte. Todas nós estamos do mesmo lado, já temos tanto contra nós, não precisamos virar as costas ou diminuir uma as outras, certo? O importante é ser feliz com o que Deus nos deu! E lembrem – se, ninguém é melhor que ninguém, muito menos por pesar menos!

Não aguentava de saudades de postar texto, mas semana que vem volto com o quadro como prometido ❤

Publicado do WordPress para Android

Querido Diário…

Ontem foi o aniversário do meu namorado, ele mora à duas ruas da minha casa, então aproveitei para usar o meu maior salto, afinal, ele é 30cm mais alto que eu. Ele adora um bom vestido justo, então escolhi um pretinho básico que ficava um pouco acima do joelho. Passei um batom vermelho não muito escuro e sai de casa às 18:50h. Passei pelo portão da minha casa e logo vi minha vizinha mais fofoqueira me olhando com desprezo. Na hora não sabia o porquê daquele olhar, mas quando voltei logo descobri.

Voltei para casa às 02:00h da manhã. O combinado era eu dormir lá, mas a minha adorável sogra resolveu ligar dizendo que estava com saudades e que iria ficar chorosa caso ele não fosse vê-la. Sinceramente, não sei qual o problema dessa mulher comigo. Enfim, quando eu estava voltando para casa, lá estava ela novamente. Minha vizinha. Me olhando com uma cara ainda pior de quando fui. Não sei o que uma mulher de 40 anos, casada e mãe de uma filha estaria fazendo na rua em plena madrugada, mas minha mãe me deu uma boa educação e mesmo com aquele olhar feroz, fui cumprimenta -lá.

– Boa noite, dona Lúcia.                                                                                                              

– Que noite, garota? Já são duas da manhã.                                                                              

– Certamente. Bom, vou indo. Bom resto de madrugada então.                                              

 – Na minha época as prostitutas trabalhavam até de manhã, agora vocês só trabalham até metada da madrugada, né? (risos) Parece que as casadas estão dando um jeito nos seus cônjuges finalmente.

Minha noite já estava uma maravilha, depois de ouvir isso então… Tudo bem, ela é mais velha, mas não podia deixar aquele comentário por aquilo mesmo. Então me forcei a virar com um sorriso no rosto e voltei a falar.

-Desculpe, o que a senhora disse?                                                                                              

 – Você me ouviu muito bem, garota. Ou você acha que engana alguém vestida desse jeito? Se ao menos não estive usando um batom vermelho…                                                            

 – O jeito que eu me visto não diz respeito à senhora. Muito menos o tipo de mulher que eu sou.                                                                                                                                          

 – Qualquer um sabe que mulheres que usam vestido curto, batom vermelho e andam por aí uma hora dessas é puta.

Nesse hora essa mulher passou de todos os limites, pelo amor.

– Não que eu deva alguma satisfação para a senhora, mas eu estava na casa do meu namorado. Como eu já disse, vestimentas não caracterizam em nada as pessoas. O que mais existe por aí são mulheres usando roupas até o pé mas não são nada daquilo. Exemplo sua filha que com 14 anos já está grávida e nem sequer sabe quem é o pai. Isso porque se a senhora perdesse o tempo livre que a senhora tem cuidando da sua filha ao invés de tomar conta da vida dos outros, talvez isso não teria acontecido. Mas todo o domingo ela estava lá na igreja se fingindo de santa e para a senhora isso já era o suficiente. Ah, ela também não usava batom vermelho. Não, é?

 -Exemplo é a senhora que mesmo sem maquiagem alguma já traiu seu marido com a cidade toda. E olha só, sem nem cobrar um tustão dos marmanjos. Engraçado que mesmo tendo tudo isso nas costas, a senhora ainda tem a capacidade de me chamar de puta simplesmente por estar usando uma roupa curta e batom vermelho quando o que me chamou se aplica à senhora mesmo sem usar nada nisso.

Ok, posso ter pegado pesado, mas ela mereceu. O melhor foi ela ter ficado sem reação e entrado sem dizer mais uma palavra. Nunca imaginei um dia passar por uma situação desse tipo, Diário. Me entristece o modo como a sociedade hoje em dia julga tudo e todos hoje em dia, principalmente as mulheres, por coisas tão pequenas quanto um batom. Mas enfim, só me resta torcer para que situações como a que eu passei hoje um dia acabem.       Boa noite, diário.

 

Dona de si mesma.

Em pleno século 21, vésperas do ano de 2016, ainda existe gente que diz que lugar de mulher é na cozinha. Sinceramente, lugar de mulher é onde ela quiser! Falar que mulher tem que ser dona de casa, viver para os filhos e o marido e não trabalhar é tão século passado. Por favor, em um mundo tão moderno, com tantas tecnologias… Eu realmente não consigo entender como ainda pode existir pessoas com um pensamento tão ultrapassado ( sem falar que é machista…). Mulher pode ter filhos e maridos, sim. Mas mulher não precisa abrir mão da sua liberdade, do seu direito de trabalhar por causa disso. “Ah, mas se a mulher trabalhar, não vai ter como ela ser uma boa dona de casa”
E quem disse que mulher tem a obrigação de ser dona de casa? Por acaso é ela que suja tudo? É ela que come tudo? Acho que não. Então não tem porquê ela ser a única a cozinhar, a única a limpar. Mulher não tem que ser dona de casa. Mulher tem que ser dona dela mesma. Todos que residem no local precisam ajudar, sejam os outros marido ou filho.
Vamos ser modernos num mundo que pede isso. Chega desse pensamento antiquado de que mulher é inferior e por isso seu lugar é dentro de casa lavando louça. Chega disso que mulher não pode trabalhar e cuidar da familia. Chega desse preconceito.
Vamos evoluir, não retroceder!

Publicado do WordPress para Android

Um Simples Ato de Amor.

Há alguns dias, eu vi uma reportagem na Tv sobre amamentação em locais públicos. Até aí tudo bem, pois é um ato completamente natural para todos nós, certo? Errado! De acordo com as pesquisas feitas por esse jornal, os brasileiros ( note que eu uso somente o masculino) acham totalmente errado uma mãe amamentar seu filho em locais públicos. Teve um que disse que acha ‘desnecessário” um ato desses. Falaram que isso é só para se mostrar. Então nessa hora, já muito revoltada com esses indivíduos, paro para pensar: Em um país como o nosso, em que se vê como cultura mulheres nuas ou seminuas dançando no carnaval para milhares de pessoas verem é considerado como algo certo e mães demostrando o seu amor amamentando seus filhos na rua é considerado pelos Homens como algo errado e feito para se mostrar, vejo a que ponto nossa sociedade chegou. Sociedade um tanto quanto babaca ao meu ver. Porque tenho certeza que as mães desses indivíduos tiveram a necessidade de fazer o mesmo para satisfazer a fome deles quando bebês. O que mais me deixou chocada, foi saber que o meu Brasil lidera com 47% o ranking mundial por preconceito com amamentação em locais públicos. O fato dessas mães não ligarem para o que esses seres que deveriam ser pensantes, me dá uma enorme esperança de que  um dia esse preconceito escroto acabe. Infelizmente, ainda estamos bem longe disso, já que isso é cultural. Agora me conte, qual a sua opinião?

Publicado do WordPress para Android

Fatos da sociedade machista.

Homens… Por mais que nos amem, no fim, são homens. E não me entenda mal, eu não tenho nada contra eles. Inclusive, amo o meu. Apenas tenho fortes contras com o pensamento deles. Bom, na maioria. Eu acredito que lá no fundo, exista uma pequena minoria, que não seja machista. E eu digo os que não sejam machistas mesmo. Não esses que falam por ai que são a favor da igualdade de gêneros e depois chamam uma mulher de puta na rua só por ela estar usando um short curto, mas vamos direto ao ponto em que quero chegar falando sobre eles. Eles são e sempre serão homens. Jamais entenderão o que nós mulheres passamos e ainda passaremos ao decorrer da nossa vida pelo simples fato de sermos mulheres. Porque, afinal, sempre somos nós as erradas. Porque, se o homem pegar dez em uma noite, ele é o fodão. Agora, vai eu ser vista beijando dois homens: um na sexta e o outro no domingo. Na segunda vou ser rotulada de tudo que é nome: puta, vadia, piranha. Vou ser olhada de cara feia por todos, e ainda por cima, ter que ouvir cochichos ao passar sobre como não me dou o respeito e o tipinho de mulher como eu, merece mesmo apanhar de homem, porque, afinal, eu não me dou valor.
É engraçado, sabe? Ambos os sexos fazem as mesmas coisas, mas na grande ( e digo grande mesmo) maioria das vezes são as mulheres que são erradas. Exemplo disso foi o que eu comentei acima. Outro exemplo de machismo: um cara e uma garota. Não são namorados, apenas estão se pegando. Eles transam. Ela engravida. Ele vai embora. E quem é a errada? Quem é a puta que não se deu o valor? A mulher, claro! Porque ela claramente engravidou sozinha, sem a ajuda de ninguém! Nessas horas, quase ninguém acusa o homem, o xinga e tudo mais. Ele fez o certo ao engravidar a garota e ir embora. Não tem problema ele ter uma atitude dessa, o problema foi a garota que se deixou levar, porque se ela tivesse ficado em casa, lavando louça ou limpando, não teria ocorrido essa “tragédia” na vida dela. A errada foi ela. Apenas ela. É isso que me irrita, uma mulher, mesmo que tenha engravidado na adolescência, ser chamado de puta pelo simples fato de ter tido um filho sem estar compromissada, e homem sair ileso dessa história toda como se ele nem tivesse participado. Isso é completamente errado, ninguém tem o direito de julgar ou se meter na vida alheia. Até porque, existe muitos tipos de casos como esse, que ocorreram por motivos diferentes.

Publicado do WordPress para Android